Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blogue RBE

Qui | 01.09.22

Sou professor bibliotecário! E agora?

2022-09-01.png

Leitura: 5 min | 

No final do ano letivo, o meu diretor chamou-me e contou que, apesar ter aberto concurso para designação de professor bibliotecário, não foi possível colocar ninguém, pelo que a escola tinha de preencher o lugar com recurso aos docentes nela colocados. Quanto a ele, eu era a pessoa certa para se ocupar da tarefa até ao final do ano letivo, uma vez que tenho o perfil adequado e estou sempre aberto a novos desafios. Como sempre gostei de ler e estou efetivamente disponível para aprender e seguir por novos caminhos, aceitei! E agora? Nem sei por onde começar!!!

Este foi o modo como muitos professores acabaram por cair nestas funções e se apaixonaram por este trabalho, tão absorvente como gratificante, que continuam a desempenhar ano após ano, com dedicação e entusiasmo. Se é o seu caso e acabou de chegar, muito obrigado por se ter deixado cativar e muitas felicidades para este próximo ano (e, quem sabe, muitos mais que se seguirão.). Este texto é-lhe especialmente dedicado e, com ele, sugerimos-lhe algumas leituras estratégicas para o integrar no contexto das bibliotecas escolares.

O que é a Rede de Bibliotecas Escolares?

A Rede de bibliotecas Escolares é um organismo do Ministério da Educação que que tem como objetivo instalar e desenvolver bibliotecas em escolas públicas de todos os níveis de ensino, proporcionando aos utilizadores os recursos e as aprendizagens necessários à leitura, ao acesso, uso e produção da informação e conhecimento, em suporte analógico, eletrónico e digital.

Para isso, existe uma Coordenadora Nacional, a Dra. Manuela Pargana Silva, coadjuvada por um Gabinete Coordenador que define as políticas de intervenção nas bibliotecas escolares e promove um conjunto de ações, em articulação com os serviços centrais e regionais do Ministério da Educação e com outras entidades e parceiros, com o objetivo de melhorar as condições de funcionamento e gestão das bibliotecas escolares.

Contamos também com o apoio inestimável dos Coordenadores Interconcelhios das Bibliotecas Escolares, a quem compete a ligação entre o Gabinete Coordenador e as escolas. Assim, se acabou de chegar, fique desde já tranquilo, pois contará com a presença constante e o apoio permanente do coordenador interconcelhio que acompanha o seu concelho. Assim, sugerimos desde já que comunique com este profissional, de cujos contactos a direção da sua escola certamente dispõe.

Qual a esfera de intervenção das bibliotecas escolares?

As bibliotecas escolares são espaços físicos e digitais multifacetados que acolhem, apoiam, colaboram, desafiam, transformam e empoderam as suas comunidades; em primeiro lugar os seus alunos, mas também os seus professores, assistentes e técnicos da escola e mesmo a comunidade mais alargada.

Existem dois documentos estratégicos que importa conhecer muito bem e que ajudam a compreender e cumprir o nosso propósito:

Em 2021 foi publicado o Quadro Estratégico Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro que apresenta, além de um núcleo estruturante (caracterizado pela qualidade e melhoria contínua e que perpassa todo o trabalho das bibliotecas) quatro grandes eixos: Sítios, Saberes, Pessoas e Ligações. Este é um documento que orientará todo o trabalho das bibliotecas até 2027 e sugere-se a sua leitura atenta.

Organizando-se o trabalho de toda a Rede de Bibliotecas Escolares em torno do núcleo estruturante Qualidade e melhoria contínua, uma das suas diretrizes é “Monitorizar e avaliar permanentemente as diferentes áreas de intervenção, atestando processos e resultados e informando a tomada de decisões”.

O Modelo de avaliação da biblioteca escolar, documento fundamental desenvolvido por este Programa e em aplicação, desde 2009, em todas as escolas dos 2.º e 3.º ciclos e ensino secundário e em algumas escolas do 1.º ciclo, constitui-se como um instrumento orientador de boas práticas e, simultaneamente, indutor de uma cultura de avaliação.

Este modelo de avaliação estrutura-se em quatro domínios que se relacionam com a ação, os resultados e os impactos da biblioteca escolar na prestação de serviços, no desenvolvimento curricular e na promoção das competências e aprendizagens dos alunos, a saber: A Currículo, literacias e aprendizagem; B Leitura e literacia; C Projetos e parcerias; D Gestão da biblioteca escolar.

Este é outro documento essencial para todos os que trabalham nas bibliotecas escolares, que importa ter presente sempre que pensamos as ações a desenvolver, uma leitura indispensável para quem dá os primeiros passos.

O que se espera do professor bibliotecário?

Espera-se que seja um líder com uma visão estratégica e participe na tomada de decisões, designadamente no âmbito do Conselho Pedagógico, ajudando a definir prioridades de atuação, com impactos nas aprendizagens formais e não formais dos alunos, alinhadas com as políticas educativas, a visão e a missão da escola.

Enquanto professor e especialista da informação, deve centrar a sua ação na prática pedagógica, que se concretiza através da criação de situações de aprendizagem diversificadas e da dinamização de programas formativos de leitura e de literacias, sempre que possível em situações de coensino, com vista à capacitação dos alunos para o uso crítico e criação de informação e conhecimento.

No entanto, existe também uma vertente técnica para o seu trabalho, uma vez que lhe compete gerir a biblioteca e as respetivas coleções, de acordo com padrões de qualidade definidos para as unidades de informação.

Para bem compreender o que é esperado do professor bibliotecário, sugerimos como terceira leitura o documento Professor bibliotecário: um profissional em ação.

Que prioridades para 2022-2023?

Anualmente, a Rede de Bibliotecas Escolares define as áreas de intervenção prioritárias, embora, naturalmente, devam continuar a ser trabalhados os vários fatores críticos de sucesso nos diferentes domínios de atuação da biblioteca.

Em 2022-2023, sob o lema “Inclusão, Inovação & Renovação”, apela-se a uma especial atenção aos espaços físicos & digitais, à transição digital, à leitura & escrita, à informação & media, à cidadania e à cultura.

 

E pronto. Feito o enquadramento, é hora de começar. Com calma, com a segurança do apoio constante e de que todas as dúvidas serão prontamente esclarecidas. Procure o seu coordenador interconcelhio. Colabore com os professores bibliotecários do seu concelho. Conheça os docentes, assistentes e técnicos da sua escola.

Explore o portal RBE.

Bom trabalho!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.