Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Palavras de Veiga Simão, o ministro da educação de Marcelo Caetano que, nos anos 70,  impulsionou a reforma do ensino que ficou conhecida com o seu nome: “Eu assumia que a única possibilidade, a única nesga de oportunidade que Portugal tinha para caminhar um pouco mais depressa para uma democracia inevitável e desejável era através da educação”, disse, numa entrevista ao PÚBLICO em 2001."

 

"Como ministro da Educação, alargou a escolaridade obrigatória e gratuita para oito anos, lançou as bases do desenvolvimento do ensino, estabelecendo o direito à educação, a igualdade de oportunidade e o acesso pelo mérito. Apostou muito na educação técnica, que foi suprimida após o 25 de Abril. Mas ficou também conhecido pelos “gorilas”, os vigilantes colocados em algumas faculdades da Universidade de Lisboa, a pior medida que tomou no meio de uma reforma que mudou, mais do que tudo, o ensino superior português."

 

"No início dos anos 70 (do século passado), quando era reitor da Universidade de Lourenço Marques, Veiga Simão tomou a decisão política de promover doutoramentos em Inglaterra, pois em Portugal demoravam muito tempo”, recordou, ao PÚBLICO, João de Deus Pinheiro, ex-ministro dos Negócios Estrangeiros. (...)

O antigo ministro da Educação nos IX e X governos constitucionais destacou, também, uma consequência destes doutoramentos. “Foram os doutorados de Lourenço Marques que mais tarde fizeram nascer as universidades do Minho, Aveiro, Beira Interior, Algarve e Nova de Lisboa”, assinalou. “Veiga Simão foi um homem decisivo no salto do ensino científico.” (...)"

 

Ler mais no Público, 3 maio >>

Etiquetas:


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blogue RBE em revista

Clique aqui para subscrever


Twitter



Perfil SAPO

foto do autor