Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




abrantes.jpg

por Bruno Vieira Amaral

Chegados à Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Abrantes, caminhamos até à estrebaria. Uma rapariga escova o dorso de um cavalo. Cuida dele. Sílvia diz-me que estão muito ligadas aos animais. São imponentes, os cavalos. Portentosos. Ameaçadores. É natural a ligação entre as raparigas e os animais. O que se estabelece entre ambos não é uma relação de poder ou subjugação, mas uma cumplicidade até à união total em que o homem domina sem se impor e o cavalo obedece sem se sujeitar. A rapariga, bela como toda a juventude que se ignora, dá-me um pedaço de cenoura para que o cavalo venha comer à minha mão. É isso que ele faz. Por momentos, também participo nessa união, deixo de estar arredado desse grande convívio. Penso no conto de Leopoldo Lugones, "Os Cavalos de Abdera" e o que até hoje li como uma alegoria ou uma fábula, parece-me subitamente mais realista do que nunca. Nos seus movimentos cuidadosos, nos seus olhares um tanto abstraídos de tudo o que existe e não é cavalo, as raparigas dizem-me que a uni-las aos animais há algo mais profundo e decisivo do que aquilo que as liga aos outros humanos. Tenho a impressão justa e pavorosa, de que seriam capazes de sacrificar qualquer um de nós - desde logo a mim, forasteiro acabado de chegar, intruso nos seus domínios - para salvarem os seus belos cavalos. E isso, como tudo o que é terrível, também é belo.

 

Entrevista com os alunos junto aos respetivos cavalos. Cada aluno tem o seu cavalo pelo qual é responsável.

 

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Abrantes | escolas improváveis

Uma publicação partilhada por Rede de Bibliotecas Escolares (@rbe_pt) a

 

A Biblioteca Escolar

A EPDRA integra a rede de bibliotecas escolares do Ministério da Educação. O projeto consistiu na renovação do espaço, do equipamento da biblioteca e na aquisição de novos livros e outros recursos.

 

A Biblioteca situada no Centro Escolar pretende servir da melhor forma a comunidade educativa. Está aberta durante o dia em horário normal de funcionamento de aulas, consoante a disponibilidade dos docentes que compõem a equipa. À tarde em horário fixo, de domingo a 5ª feira das 18h30 às 22horas, com um pequeno intervalo para o jantar.

 

É um espaço agradável de encontro, estudo e partilha de leituras e amizades onde se pode encontrar audiovisuais, computadores, livros das áreas técnicas dos cursos que a escola disponibiliza e literatura em geral para ser consultada/requisitada. Para quem preferir ler de forma digital, só necessita requisitar um dos ereaders que existem para o efeito.

 

Às quartas-feiras das 10 às 12 horas a Biblioteca desloca-se para a Herdade e ganha cor e cheiro verde, para que os alunos possam também lá fazer as suas requisições e fazer os seus pedidos para a semana seguinte.

 

 

***

 

Nesta Escola os alunos aprendem a fazer vinho e cerveja artesanal de qualidade. Aqui fica a descrição do processo, feita na Adega, pelo prof. Paulo Vicente:

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas:


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Twitter



Perfil SAPO

foto do autor