Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Almanaque

17.06.09

Equipo Peonza - El Rumor de la lectura, Madrid, Anaya, 2001
¿Qué es leer? ¿Por qué leer? ¿Cómo conseguir hábitos lectores? ¿Qué lecturas hacer? He aquí una serie de cuestiones frecuentemente formuladas y otras tantas veces respondidas; sin embargo, esto no quiere decir que no debamos seguir haciéndolas, o añadir otras, porque sus respuestas no siempre serán las mismas. Partimos del convencimiento de que la lectura, sus implicaciones y su promoción, necesitan de una constante reflexión; las prácticas culturales cambian, las actividades de ocio también, el papel de la lectura debe ser también repensado. Ler mais >>


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.06.2009 às 18:59

"...Partimos del convencimiento de que la lectura, sus implicaciones y su promoción, necesitan de una constante reflexión; las prácticas culturales cambian, las actividades de ocio también, el papel de la lectura debe ser también repensado..."

Penso que a obra é sugerida para nos alertar sobre a importância de reflectirmos o papel da leitura como um direito de todos e o nosso papel neste contexto.
Também António Cândido, um dos maiores críticos literários e um reconhecido intelectual brasileiro do século 20, tem insistido na discussão sobre “direitos humanos e literatura”.
Se entendemos a leitura da literatura como direito de todos, é preciso pensar um pouquinho sobre o modelo de sociedade que privilegia uma classe em detrimento de outra, também no campo da cultura.
Em muitas de suas obras, António Cândido se refere à leitura como um prazer, que infelizmente pode ser privilegiadamente gozado por poucos. O gosto pela leitura não se cria independente das condições sócio e económicas de um cidadão. Para António Cândido “a luta pelos direitos humanos abrange a luta por um estado de coisas em que todos possam ter acesso aos diferentes níveis de cultura… Uma sociedade justa pressupõe o respeito dos direitos humanos, e a fruição da arte e da literatura em todas as suas modalidades e em todos os níveis é um direito inalienável”.
Fiquei com muita vontade de ler o livro sugerido. Vou procurá-lo!
Agradeço a dica do Blogue.

Lilian Azevedo

17.06.09

Para saber mais sobre António Cândido: http://www.pacc.ufrj.br/literaria/umabibliografia.html

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Twitter



Perfil SAPO

foto do autor