Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

Tribunal Aberto

http://www.asjp.pt/

O incremento do conhecimento e da tecnologia amplifica as possibilidades de cada cidadão sobre o destino coletivo, gerando uma fragmentação de poderes. Em todas as circunstâncias, os cidadãos são chamados a intervir no espaço público devendo fazê-lo de modo informado e transparente - mas não neutro* - para que as opiniões baseadas em pseudociência e emoções (ódio, medo) não prevaleçam perante as opiniões credíveis fundadas em informação relevante e evidência científica e no uso de meios bons e legítimos.

 

Os modos inorgânicos de participação exigem o domínio de múltiplas literacias, designadamente na área da Justiça e do Direito.

 

A Associação Sindical dos Juízes Portugueses colabora com as escolas no reforço destas experiências e formação junto dos alunos do ensino básico e secundário.

 

Ler mais:            

Tribunal Aberto – Formar para a Cidadania

*A neutralidade possibilita a ascenção de:

  • Naturalização das ofensas à dignidade humana e ao Estado de Direito,
  • Movimentos anti-científicos, bem como anti-democráticos e anti-europeístas,
  • Consumismo à margem da responsabilidade sobre o equilíbrio do sistema terrestre e humano,
  • Populismo e extrema direita.

 

Notre-Dame

 Notre Dame | © Zuffe / WikiCommons

 

Independemente de podermos questionar porque é que a solidariedade humana não adquire a mesma dimensão na resolução de problemas como as alterações climáticas ou como a destruição, em Moçambique, Zimbabué e Maláui, provocada pelos ciclones Idai ou Kennet, importa-nos destacar a experiência de aprofundamento do caráter humano dos nossos gestos e do nosso destino comum em tragédias como a da destruição da Catedral de Notre-Dame.

 

Ler mais:

Garantir um futuro ao património

 

 

Combate ao ódio

A comunidade é o centro da biblioteca. Servi-la, prevenindo e agindo sobre os seus problemas, mediante ações criativas realizadas no espaço público, constitui o seu propósito.

Os alunos do Agrupamento de Escolas de Coruche e a respetiva professora bibliotecária apresentam dois vídeos que alertam a comunidade para a responsabilidade de todos no combate ao ódio: “Por uma escola sem violência” e “Violência no namoro”.

 

 

Notas das Escolas

Gostaríamos que partilhassem connosco o que fazem na área da cidadania colaborando em Notas das Escolas – Cidadania e Biblioteca Escolar | Pensar e Intervir.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas:


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Twitter



Perfil SAPO

foto do autor