Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Educação para os Direitos Humanos | manuais

Amnistia Internacional - Portugal

07.07.20

A Amnistia Internacional lançou um conjunto de manuais que disponibiliza numa nova área do seu site, dedicada à Educação para os Direitos Humanos (EDH).

celebrar.jpg

Download | Ver todos os manuais |



São recursos úteis para as bibliotecas escolares, uma vez que fornecem informação e ideias de atividades para abordar temáticas dos direitos humanos, um dos temas trabalhados nas escolas e que se constitui cada vez mais como essencial na formação dos estudantes.

Existem poucos manuais de referência nestas temáticas em língua portuguesa e por isso se lança esta coleção, para que sejam ferramentas de apoio a professores, educadores, formadores, ou outros profissionais ligados à educação em contextos formais e não formais.

Alguns dos títulos que se apresentam versam sobre temas essenciais da atualidade em direitos humanos e cidadania, e do trabalho da Amnistia Internacional em Portugal e no mundo. Destes são exemplo “Celebrar a coragem dos defensores dos direitos humanos”, “Eu Acolho – direitos humanos das pessoas refugiadas”, “Pobreza e direitos humanos”, “Capacitar contra a tortura”, entre outros.



SOBRE OS MANUAIS

 Estes manuais foram desenhados de forma específica para o contexto português, a partir de materiais das campanhas da Amnistia Internacional. Incluem, em geral, a definição dos principais conceitos do tema, um enquadramento do mesmo nas questões de direitos humanos e exercícios ou dicas para serem levados para o contexto de sala de aula ou para outros espaços educativos.

Destinam-se a docentes, sobretudo, do 3.º ciclo e dos ensinos secundário e profissional, a educadores de outros contextos, inclusivamente não formais, e a outros profissionais ligados ao trabalho social e educativo. Todos os manuais estão disponíveis de forma gratuita.Com o fim das aulas, é tempo de desenvolver novas competências e preparar os conteúdos do próximo ano letivo, para as diversas disciplinas dos currículos escolares.

Os manuais da Amnistia Internacional podem contribuir para esta missão.

Tendo em mente o lema “distinguir para inspirar”, a iniciativa Fazer em Rede dá rosto e voz aos professores bibliotecários, líderes na sua comunidade e profissionais capazes de enfrentar as mudanças com confiança.

Estes testemunhos partem da experiência pessoal e apresentam-nos soluções por vezes simples, mas engenhosas e criativas. Mostra-se, assim, que os professores bibliotecários que têm boas ideias e disponibilidade para continuar a aprender podem contagiar todos com o seu entusiasmo, colocando a biblioteca no centro da escola.

Na Boa Prática em destaque, Isabel Rego, professora bibliotecária no Agrupamento de Escolas de Búzio, em Vale de Cambra, apresenta o projeto Sementes de Leitura e conta como evoluiu para dar resposta à pandemia.

Materiais disponibilizados pela escola aqui>>

Lista de Boas Práticas - maio 2020 [PDF]
Lista maio 2020 [PDF]

Ver também:
• Regulamento Fazer em Rede 2019/ 20
• Boas Práticas RBE
 

Referência: Fazer em rede • Prémio Boas Práticas | maio 2020. (2020). Retrieved 6 July 2020, from https://rbe.mec.pt/np4/2580.html

1.png

Download |

Prefácio

(...) O presente manual procura servir como exemplo de currículo internacionalmente relevante, aberto à adesão ou adaptação, como resposta ao problema decorrente da desinformação global que confronta as sociedades em geral, e o jornalismo em particular.

Evita-se admitir que o termo fake news (“notícias falsas”) possua um significado direto ou comummente compreendido. Isso ocorre porque “notícias” significam informações verificáveis de interesse público, e as informações que não atendem a esses padrões não merecem o rótulo de notícias. Nesse sentido, então, a expressão “notícias falsas” é um oxímoro que se presta a danificar a credibilidade da informação que de facto atende ao limiar de verificabilidade e interesse público – isto é, notícias reais.

Para entender melhor os casos que envolvem manipulação exploratória do idioma e convenções de géneros de notícia, esta publicação trata esses atos de fraude pelo que são – como uma categoria particular de informação falsa em formas cada vez mais diversas de desinformação, inclusive em formatos de entretenimento como memes visuais.

Nesta publicação, o termo desinformação é comummente usado para se referir a tentativas deliberadas (frequentemente orquestradas) para confundir ou manipular pessoas por meio de transmissão de informações desonestas. Isso geralmente é combinado com estratégias de comunicação paralelas e cruzadas e um conjunto de outras táticas, como hackear ou comprometer pessoas. O termo “informação incorreta” frequentemente refere-se a informações enganosas criadas ou disseminadas sem intenção manipuladora ou maliciosa. Ambos são problemas para a sociedade, porém a desinformação é particularmente perigosa pois é frequentemente elaborada, com bons recursos, e acentuada pela tecnologia automatizada. (...)

 

Referência: Manual de Combate à Fake News. (2020). Retrieved 2 July 2020, from http://portaldobibliotecario.com/e-book/manual-de-combate-a-fake-news/

Media@ção • Prémios 2020

Vencedores

29.06.20

Apesar das circunstâncias em que decorreu esta edição do conucurso é significativo o n.º total de trabalhos recebidos (80), assim como o esforço patente de alunos e de professores. A todos, os nossos agradecimentos pela participação e empenho!

Este contexto excecional, que provocou dificuldades aos professores na orientação e apoio aos trabalhos, foi tido em conta pelo júri na sua apreciação. Mantendo os critérios definidos como base incontornável e fundamental da avaliação, deu-se também atenção ao facto de as circunstâncias de E@D impossibilitarem um maior acompanhamento de alguns trabalhos. 

Na categoria 3.º ciclo do ensino básico/ ensino secundário não foi atribuído o 2.º prémio. Embora sem prémio nem menção, dadas determinadas fragilidades, o júri decidiu ainda reconhecer dois trabalhos através da sua divulgação.

Vencedores 2020 [PDF]
Vencedores 2020

Veja também: A linguagem audiovisual; Concurso 2020
 

Referência: Media@ção • Prémios 2020. (2020). Retrieved 29 June 2020, from https://www.rbe.mec.pt/np4/2581.html

Rádio Miúdos • Emissões online

Literacia mediática

25.06.20

radio.jpg

No âmbito da parceria com a Rádio Miúdos na promoção de ações que promovem o desenvolvimento de competências de literacia mediáticas, a RBE associa-se à iniciativa que convida crianças e jovens que falem português a participarem nas emissões online desta rádio.

Os destinatários principais desta iniciativa são todas as crianças, fundamentalmente as do ensino básico, para que estas tenham oportunidade de ter voz e de aprenderem e se divertirem a fazer rádio com os os seus pares de todo o país e até do estrangeiro. Os professores e pais, que queiram participar, são muito bem vindos. Será uma oportunidade de ter a escola ou a biblioteca escolar representada numa iniciativa que chega a várias partes do mundo.

Para participar basta enviar um email ou contactar o número 965 191 518 (telefone, WhatsApp ou sms) para combinar a hora e saber o ID do Zoom, plataforma através da qual podem entrar na emissão. Em alternativa poderão participar por telefone, caso não tenham acesso ao Zoom, ou enviar uma mensagem para o número de telefone ou ainda através de mensagem de voz no site da Rádio Miúdos na barra laranja onde diz "grava aqui a tua mensagem de voz".

As emissões decorrem de segunda a sexta-feira no horário das 15h às 18h,  menos 1h nos Açores e não serão interrompidas durante o período de férias escolares de verão.

 

Referência: Rádio Miúdos • Emissões online. (2020). Retrieved 25 June 2020, from https://rbe.mec.pt/np4/2576.html

kit.png

Download |

 

Elton Alisson | Agência FAPESP – A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) lançou a versão em português do kit pedagógico “Cultura oceânica para todos”.

Elaborado pela Comissão Oceanográfica Intergovernamental (COI) do órgão, o material on-line apresenta uma série de recursos e atividades para que públicos, de todas as idades, possam entender os complexos processos e funções do oceano. Além disso, fornece informações científicas sobre a relação de causa e efeito entre o comportamento individual e coletivo e seus impactos no mar.

O kit pode ser acessado gratuitamente e adaptado para diferentes contextos geográficos e culturais.

“A ideia é que o material possa ser usado por educadores, de disciplinas que não só de ciências ou biologia, para trabalhar conteúdos e desenvolver atividades voltadas à conscientização sobre conservação, restauração e uso sustentável do oceano e de seus recursos”, disse Francesca Santoro, coordenadora do programa “Ocean Literacy” da Unesco e uma das autoras da publicação, durante um evento de anúncio do lançamento do material, em Santos, em setembro do ano passado.

A tradução para a língua portuguesa do material – também disponível em inglês, francês e espanhol – é iniciativa de um projeto apoiado pela FAPESP na modalidade Pesquisa em Políticas Públicas, realizado por pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), campus Baixada Santista, em parceria com a Prefeitura Municipal de Santos.

Um dos objetivos do projeto é desenvolver metodologias e ações para integrar a ciência oceânica e a sociedade, por meio da capacitação de cidadãos e de professores das redes pública e privada, e promover políticas públicas voltadas à conservação marinha embasadas cientificamente.

 


 

 

Este texto foi originalmente publicado por Agência FAPESP de acordo com a licença Creative Commons CC-BY-NC-ND. Leia o original aqui.

 

Com o lema “distinguir para inspirar”, a iniciativa Fazer em Rede dá rosto e voz aos professores bibliotecários, líderes na sua comunidade e profissionais capazes de enfrentar as mudanças com confiança.

Na Atividade TOP em destaque, Silvia Melchior, professora bibliotecária da Escola Básica de Tortosendo, na Covilhã, conta como usou gotas de água e um kamishibai para criar a atividade Queremos ser Eco-Heróis.

Proposta disponibilizada pela escola aqui>>


Ver também:
• Fevereiro 2020
• Janeiro 2020
• Dezembro 2019
• Novembro 2019
• Regulamento Fazer em Rede 2019/ 20
• Atividades RBE
Lista de Atividades TOP - fevereiro 2020 [PDF]
Lista março 2020

 

Referência: Fazer em rede • Atividade TOP | março 2020. (2020). Retrieved 22 June 2020, from https://rbe.mec.pt/np4/2579.html

select.png

 

A Rede de Bibliotecas Escolares foi convidada, pela East Carolina University (EUA), a participar, a 8 de junho de 2020, num webinar internacional, subordinado ao tema, Global Library Exchange: COVID-19 and Libraries.

Realizado no contexto de finalização de curso de nível de mestrado em ciências biblioteconómicas, este webinar contou com os seguintes intervenientes:

- Audrey Chapuis, Diretora da American Library (França);

- Bruno Eiras, Diretor do Departamento da Rede de Bibliotecas Públicas (Portugal):

- Liliana Silva, Conselheira do Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares (Portugal);

-  Anna Tammaro, Professora da Universidade de Parma (Itália) e diretora da revista Digital Library Perspectives.

Unindo dois continentes e quatro países, a iniciativa foi realizada através da plataforma Zoom e seguida por bibliotecários de todo o mundo.

No final, os seus responsáveis, Bárbara Marson, Professora do Library Science Program e a sua equipa da Universidade, Kaye Dotson (Professor Associado e Diretor do MLS Program) e Rita Soulen (Professora do MLS Program), deixaram a promessa de dar continuidade a estes encontros.

Etiquetas:

Juntos descobrimos a engenharia | e-book

Atividades, jogos e enigmas

16.06.20

juntos_descobrimos_engenharia.png

Download |

 

"Juntos descobrimos a Engenharia" é o novo livro digital infantil que a Ordem dos Engenheiros lançou para assinalar o Dia Mundial da Criança.
 
Leonardo Da Vinci e Mary Jackson, dois nomes emblemáticos da história da Engenharia, são os protagonistas desta publicação, que inclui muitas atividades, jogos e enigmas que levarão os mais novos a descobrir tudo o que precisam para serem verdadeiros engenheiros.
 
Num período marcado ainda pelo afastamento de muitas famílias, este é o contributo da Ordem dos Engenheiros para a sociedade e, de forma muito particular, para os seus membros - avós, pais e demais familiares -, ajudando-os na missão de explicar às crianças, de forma lúdica, o que é ser Engenheiro.
 

Referência: Ordem dos Engenheiros. (2020). Retrieved 16 June 2020, from https://www.ordemengenheiros.pt/pt/atualidade/noticias/ordem-dos-engenheiros-lanca-livro-digital-infantil-sobre-engenharia/

cerlalc.jpg

Nos dias 10 e 11 de junho, a Cerlalc promoverá um espaço virtual de natureza regional, que procura identificar, convocar, pôr em diálogo e tornar visível:

  • a maneira como os sistemas de bibliotecas e os planos de leitura da América Latina agem para assumir a crise causada pelo Covid-19; 
  • as medidas adotadas pelos países a esse respeito; 
  • as ações de transformação para responder às necessidades culturais, educacionais e emocionais das comunidades;
  • a maneira como o futuro é projetado.

O fórum reunirá os líderes e os coordenadores dos planos nacionais de leitura e os sistemas ou redes de bibliotecas públicas nacionais dos 21 países ibero-americanos.

O evento é voltado para todos os atores da área das bibliotecas e leitura, incluindo bibliotecários, mediadores de leitura, coordenadores de redes locais de bibliotecas públicas e escolares, escritores, editores, entre outros.

Além disso, terá como convidadas as organizações interessadas no assunto, como a UNESCO e os seus diferentes departamentos de educação e cultura na região: IFLA e Fesabid, entre outros.

A RBE e o PNL marcarão presença no evento.

Faça o download da programa completo aqui: AGENDA

 

Assista via:

*Não requere inscrição prévia.

 

Referência: FORO REGIONAL: Las bibliotecas y los planes de lectura en contextos de crisis, más necesarios que nunca - Cerlalc. (2020). Retrieved 9 June 2020, from https://cerlalc.org/foro-regional-las-bibliotecas-y-los-planes-de-lectura-en-contextos-de-crisis-mas-necesarios-que-nunca/


RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Twitter



Perfil SAPO

foto do autor