Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Captura de ecrã 2017-10-20, às 10.15.24.png

  Fonte | por  |

 

Nos seus mais de 100 anos de história, a rádio sempre foi considerada um dos média mais democráticos, seja pela sua fácil acessibilidade, seja pela imediatez e pelo baixo custo necessário para a pôr em marcha. São todo um conjunto de vantagens que facilitam que também possa converter-se num excelente recurso para trabalhar com os estudantes diferentes habilidades e conhecimentos. Quer saber como?

 

A rádio escolar pode converter-se numa interessante actividade em que participe a escola/ agrupamento, na qual podem incluir-se alunos de diferentes ciclos e áreas curriculares, adaptando sempre a cada um os conteúdos e as metodologias. Trata-se de um recurso perfeito para introduzir, por exemplo, a metodología de projeto, já que se pode dar aos estudantes a liberdade de criar o programa que elejam com base nos seus própios interesses. Será necessário que trabalhem de forma cooperativa, repartindo as tarefas, respondendo às perguntas que lhes ocorram, descobrindo as diferentes ferramentas… definitivamente: vivendo uma aprendizagem significativa com as ondas de rádio como desculpa!

 

Para além de tudo isto, as habilidades e competências que podem trabalhar-se de forma individual são também muitas e a diferentes níveis, como o linguístico, o artístico, o musical… Para saber mais, recomenda-se a consulta, na integra, do artigo do jornalista Rafael Quintana sobre a linguagem da rádio e as suas possibilidades educativas.

 

Perde o medo à tecnología

Montar um emissor de rádio é hoje em dia mais fácil que nunca! Utilizando o formato podcast, que consiste em partilhar arquivos de áudio de curta duração, podemos gravar os programas como peças únicas e publicá-los na plataforma escolhida para que os ouvintes possam aceder aos conteúdos no momento que desejem.

 

Quanto a dispositivos necessários, será suficiente ter um telemóvel, tablet ou computador com ligação à internet; ainda que é certo que se tivermos alguns microfones para registar as vozes, a qualidade das gravações será melhor.

 

Recomendam-se as seguintes aplicações, que podem facilitar muito o trabalho:

  • Audacity: Um programa fácil e prático para a gravação e a edição de som, que permite misturar as pistas e acrescentar diversos efeitos. Para além disso, é gratuito, e pode instalar-se tanto em Windows como em Mac e Linux.
  • SoundCloud: Nesta web podemos publicar e partilhar os podcasts tanto de maneira pública como para utilizadores concretos, para além de podermos comentar as gravações e organizá-las em álbuns.
  • Listen2myRadio: Para emitir em direto, esta é a plataforma. Nesta web poderemos ter o nosso próprio espaço para partilhar programas em streaming para os demais estudantes da escola/ agrupamento…. e para o resto do mundo!

 

Ler mais >>

 

Conteúdo relacionado:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

site.png

 

Foi ontem, dia 18 de outubro, apresentado o novo sítio 'Educação em exame', que resulta do trabalho conjunto do Conselho Nacional de Educação, da Fundação Francisco Manuel dos Santos e do Expresso.

 

A plataforma oferece uma visão comparada e evolutiva do sistema educativo português, tendo como base dados atualizados do PISA e as análises feitas no projeto Aqeduto, bem como dados de outras fontes.

 

Digital e interativo, o sítio combina o rigor e a complexidade dos factos com a simplicidade de os comunicar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

jornais.png

 por Ingrid Mosquera Gende | Fonte |


Podemos destacar duas formas essenciais de usar os jornais na aula. Por um lado, mediante a leitura, manipulação e trabalho com jornais existentes e, por outro lado, mediante a criação de jornais por parte dos alunos. Duas atividades complementares que podem ser tratadas individualmente, dadas as possibilidades que permitem.

 

jornal como instrumento de trabalho ou recurso didático serve para desenvolver uma aprendizagem global e transversal, podendo englobar, como veremos, distintos assuntos e levando a que os estudantes sejam capazes de observar a realidade desde diferentes pontos de vista, assim como refletir, igualmente, sobre a objetividade e a subjetividade das informações. A quantidade de atividades que podem realizar-se a partir dele são muito variadas.

 

Portanto, centrando a nossa atenção na introdução dos jornais na aula, talvez a primeira pergunta que pode surgir é que jornais utilizar e em que idades começar com este tipo de atividades. (...)

 

Ler mais >>

 

Guía básica para utilizar el periódico como recurso didáctico en el aula

Guía básica para utilizar el periódico como recurso didáctico en el aula. (2017). El Blog de Educación y TIC. Retrieved 17 October 2017, from http://blog.tiching.com/guia-basica-utilizar-periodico-recurso-didactico-aula/

 

Conteúdo relacionado:

Autoria e outros dados (tags, etc)

O 5 de Outubro explicado aos mais pequenos (nova versão)
 
Conteúdo relacionado:

 

Download da apresentação acima (.pptx)

Autoria e outros dados (tags, etc)

cite.png

 

Citações bibliográficas seguindo as normas APA, Harvard, Chicago e MLA de qualquer página web que se visite, é o que faz a extensão para o Google Chrome de Citethisforme.com, um portal com ferramentas úteis para criar uma bibliografia completa.

cite.png

Esta extensão para Google Chrome é útil para citar páginas web pois faz a sua função de forma automática, com apenas um clique no respetivo botão  “Cite This For Me: Web Citer” na barra de extensões do navegador. Reconhece automaticamente as etiquetas de autor, títulos, data e o URL. O que fica por fazer é copiar e colar a citação ou exportá-la para Citethisforme.com para uma melhor gestão.

 

Esta é uma ferramenta útil para os alunos se habituarem a citar as fontes, em linha, que usam nos trabalhos académicos. O administrador da rede da escola pode, facilmente, instalá-la nos computadores da biblioteca escolar equipados com o navegador Chrome. Pode ainda servir como pretexto para se falar da importância da citação e para se determinar, de forma efetiva, a norma a seguir na escola/ agrupamento. 

 

Instalar a extensão (Google Chrome)

 

Conteúdo relacionado:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tecnologias Educativas. PLE – Entornos Personales de Aprendizaje © UPV (Universitat Politècnica de València)

 

Conteúdo relacionado:

Autoria e outros dados (tags, etc)

video.png

 NetPublic |

 

Planificar, realizar e difundir vídeos educativos: diretrizes e sugestões para os professores, é o título de um dossiê informativo muito interessante, concebido por 4 professores do Quebec e publicado em setembro de 2017 (descarregar aqui em PDF).

 

Índice de matérias do dossiê : produzir vídeos educativos

  1. État de la question : facteurs à considérer pour des vidéos éducatives efficaces
    1.    Quelques avantages associés à l’usage de la vidéo
    2.    La charge cognitive
    3.    La participation active des étudiants
    4.    L’apprentissage actif
  2. Dans la pratique pédagogique : quelques conseils pour l’élaboration des capsules vidéo
    1. Choix des contenus
    2. Planification des vidéos
    3. Longueur des vidéos
    4. Styles possibles
    5. Outils de création de contenu
    6. Outils de distribution
  3. Conclusion
  4. À propos des auteurs
  5. Références utiles

 

(Via e-learning Bretagne)

 

Licence : Lire la licence dans une nouvelle fenêtre Creative Commons by-nc-sa
Géographie : International

 

Conteúdo relacionado:

Autoria e outros dados (tags, etc)

recursos.png

 


O portal RTP Ensina apresenta um conjunto de recursos - para alunos e professores - que podem contribuir para a educação para a cidadania.

 


A RTP apresentou, ao longo das últimas décadas, rubricas e programas que podem auxiliar estudantes e professores a complementar os seus conhecimentos de cidadania.

 

Na área de cidadania do portal recuperam-se alguns desses documentos com o objetivo de ajudar a cumprir as metas dessas disciplinas: “contribuir para a formação de pessoas responsáveis, autónomas, solidárias, que conhecem e exercem os seus direitos e deveres em diálogo e no respeito pelos outros, com espírito democrático, pluralista, crítico e criativo, tendo como referência os valores dos direitos humanos”:

 

Conteúdo relacionado:

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

leitura digital.png

 Download | Guten |

 

O estudo “Práticas de leitura digital em sala de aula” reune uma série de artigos com o intuito de mapear, disseminar e inspirar práticas de leitura digital em sala de aula.

Um dos destaques apresentados neste documento é o artigo "Uso de tecnologias digitais em sala de aula", elaborado pela especialista em multiletramento e leitura, Roxane Rojo.

*** 

 

in Apresentação:

 

O programa “Leitura digital em sala de aula” nasceu da observação da realidade de educadores cujo objetivo é desenvolver competências e o prazer da leitura nos seus alunos.

 

Como empresa com foco na área de letramento, a Guten interage diariamente com escolas e professores, além de discutir quais as principais preocupações que esses educadores têm nas suas rotinas. Nessa jornada, deparamo-nos diariamente com angústias e questões: “Como faço com que os meus alunos leiam mais?”, “Como desenvolver o hábito leitor frente a tantos “distratores” tecnológicos?”, “Por que é que eles se distanciam dos livros ao longo do tempo?”, “Será que os meus alunos leem mais ou menos que a geração anterior?”, “O que é ler no mundo digital?”.

 

Ao mesmo tempo, percebemos que a comunidade escolar ainda precisa de modelos e relatos de casos reais nos quais possa espelhar-se para inovar e, assim, começar a responder às perguntas acima. A vontade de mudança é facilmente detetada. A dificuldade maior está no momento do planeamento e execução: “O que fazer?”, “Como começar?”.

 

Foi assim que decidimos contribuir e mostrar à comunidade educadora alguns exemplos de quem está a começar ou já utiliza recursos tecnológicos voltados para a melhoria da leitura dos alunos. O objetivo do Programa é, assim, fomentar o ecossistema de experimentações na área do letramento digital, trazendo à luz as práticas de professores reais, lidando, nos seus contextos reais, com as suas limitações reais e potencialidades reais. Priorizamos o “real”, as contradições e os impasses imanentes à prática, mesmo quando em busca do “ideal”.

Procuramos disseminar experiências inspiradoras, transformações e reflexões realizadas por um grupo de educadores na sua busca por potencializar a aprendizagem e prover uma experiência leitora mais rica aos seus educandos. Dessa forma, o foco maior do Programa esteve na experimentação de aulas planeadas com recursos tecnológicos relacionados com a leitura e o letramento digital. Não promovemos um curso, mas um grupo de partilha e experimentações. (...)

 

Ler mais >>

Adaptado do português do Brasil

(2017). Gallery.mailchimp.com. Retrieved 20 September 2017, from https://gallery.mailchimp.com/c34e670c72aa0ade921b7c20d/files/be24fb62-35ee-4603-8362-091d6d3dc92f/Praticas_em_Leitura_Digital_em_Sala_de_Aula.pdf

Autoria e outros dados (tags, etc)

A tecnologia faz sentido quando nos facilita a ação e nos faz poupar tempo. O Canva, a ferramenta gráfica que se apresenta, cumpre estes desígnios... no PC ou no portátil, funciona na Web. Existe em app para iPhone e iPad. Grátis, claro.

 

É intuitivo e apresenta-se com um modelo de uso drag and drop, onde podemos selecionar formas, fundos e frames num banco de imagens e escolher entre fontes, muito bem conseguidas, para inserir textos. Como se não bastasse, Canva.com disponibiliza alguns templates prontos, para inspiração ou adaptação. 

 

O Canva é útil e prático no que respeita à composição de imagens no dia a dia, seja um post ou a alteração de capa no Facebook, uma imagem a ser partilhada no Instagram, a promoção de algum item no site da biblioteca, um banner promocional, o programa de um evento, ou ainda um qualquer mapa mental...

 

Registe-se no serviço, em https://www.canva.com/ e comece a compôr.

 

O Canva é uma ferramenta útil para as bibliotecas escolares.

 

App para iPad

 

Conteúdo relacionado:

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Ligações

Sítios Institucionais


Twitter



Perfil SAPO

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Twitter_